sábado, 4 de outubro de 2014

Literatura, fotografia e música no SESC

Apresentação da Berlinda Band na Feira Pan-Amazônica do Livro / 2014



“Berlinda” volta à cena, desta vez com fotografia e música, na terça-feira às 18 horas, no auditório do Sesc Boulevard, em Belém do Pará. Na sessão de leitura do romance, será abordada a conexão entre imagem e texto durante o meu processo da escrita. Para mim uma abordagem nova proposta pela fotógrafa Paula Sampaio que num primeiro momento me deixou hesitante. Não sou fotógrafo profissional, mas a fotografia sempre esteve presente na minha vida. Desde a primeira máquina que ganhei de presente do meu pai, uma flicka, com uma trava e nenhum recurso para focar o objeto a ser fotografado. Perdeu-se no tempo como tantas coisas.

Mas a fotografia esteve presente em todo meu processo de escrita, muitas vezes servindo até de inspiração para o meu texto. Usei fotografias de arquivos da Segunda Guerra Mundial, da Berlim destroçada, sob escombros, do muro, de vítimas e a famosa foto do soldado Conrad Schumann, que saltou o arame farpado e saltou para a liberdade. A história dele me chamou muito atenção nessa imersão em imagens que se misturaram a imagens que fiz em Berlim durante as minhas passagens pela cidade.

Em novembro fará um ano do lançamento da “Berlinda” que entre idas e vindas, este ano foi para Berlim participar de dois eventos internacionais e em junho foi apresentada na Feira Pan-Amazônica do Livro, em Belém. No último evento, a apresentação contou com a participação da Berlinda Band, grupo musical que nasceu no dia do lançamento do romance,

Todas as músicas foram compostas em parcerias com autores locais como Vital Lima, músico e cantor paraense que mora no Rio de janeiro e que já teve músicas gravadas por grandes nomes da música popular brasileira como Elizeth Cardoso, Marlene, Simone, Wanderléa, Alaíde Costa, Lucinha Araújo, Áurea Martins, Emílio Santiago e Herminio Bello de Carvalho, de quem é parceiro há muitos anos. Vital tem vários CDs autorais produzidos e um deles, feito apenas com músicas em parceria com o compositor e poeta Hermínio Bello de Carvalho, “Pastores da noite”, que virou tema de uma novela da TV Globo.

Participam também do projeto musical os compositores Albery Albuquerque, que se dedica ao estudo de música transmórfica e aos sons dos bichos da floresta amazônica como a onça e o uirapuru; Firmo Cardoso, compositor de hits românticos como “Ao pôr do sol”, em parceria com Dino Souza, cantado pelo saudoso Ted Max um dos grandes artistas do brega-romântico que se dividia entre a Amazônia e o Japão, onde ganhou nome.  No projeto, o cantor e compositor paraense, Pedrinho Cavalléro, que completa 35 anos de carreira este ano, entra como autor do samba enredo da fictícia escola de samba Grêmio Recreativo Escola de Samba Para Sempre Unidos de Berlim, que ganhou um clipe já apresentado nos dois eventos de Berlim.

O romance “Berlinda – asas para o fim do mundo” é uma narrativa contemporânea que cobre um período que vai de 1983, antes da queda do muro, até 2006, ano da Copa do Mundo na Alemanha, e que conta histórias de personagens comuns que transitam em dois cenários da narrativa: Belém do Pará, na Amazônia, e Berlim, na Alemanha. Conta a história de Leo, personagem principal da novela, que vive e relata também histórias que acontecem em grandes metrópoles, crônicas de amores, traições, casamentos e separações, pedofilia, homoerotismo e a imensa solidão que transborda na vida dele e de outros personagens.

O lançamento do CD será feito por músicos e intérpretes de um conjunto musical que só apareceu até agora nos eventos literários e que foi batizada de Berlinda Band, pois todos os artistas têm suas próprias bandas e seguem carreira regular. Mas acabaram entrando para a história do projeto que fez do ato solitário, que é o processo de criação literária, uma virada para a participação coletiva no romance através das músicas compostas para os principais personagens da história. Ou da novela em forma de livro.

O CD com a trilha sonora do romance foi produzido pelo próprio autor do romance e parceiro nas músicas, Ronald Junqueiro, tendo como produtor artística o compositor Firmo Cardoso. A direção musical e nos arranjos, com exceção da música “Bela Cortesã”, que traz o violão do compositor Albery Albuquerque, ficaram sob a batuta do músico Hélio Silva, que também lidera a Berlinda Band nas apresentações especiais. Participaram da gravação do CD os músicos Márcio Jardim (percussão), Gileno Foinquinos (violão acústico), Marinho Gomes (guitarra e violão elétrico), Hélio Silva (bass e piano), JR (bateria) e Mestre Ginja (efeitos).
          
       Os intérpretes também são prata da casa como Vital Lima, Simone Braga, Ivanna Santos, Firmo Cardoso, Leo Meneses, Reginaldo Viana, Pedrinho Cavalléro e Carlinho Sabiá, que interpreta o carro-chefe do CD e do romance, o samba enredo “Derruba o muro, mistura tudo e que Deus nos acuda”.